Pesquisar este blog

terça-feira, 6 de agosto de 2019

Como cultivar Oxalis corymbosa Aureo-Reticulata

6.8.19 0 Comentários
Os trevos fizeram parte da minha infância e me chamam atenção não somente pelas suas lindas folhas e flores, mas também por suas variedades. A Oxalis corymbosa 'Aureo-Reticulata', tem folhas verdes com "veias"/linhas amarelo-ouro e que a torna mais especial pelo diferente. É uma planta de fácil cultivo e que pode ser uma ótima opção para decorar seu jardim ou sua casa.

Oxalis corymbosa 'Aureo-Reticulata'.


Conhecendo a Oxalis corymbosa 'Aureo-Reticulata'


Conhecido como falso-trevo, pois, o trevo verdadeiro tem 4 folhas. É uma planta perene que pode atingir 15 cm de altura, suas flores são pequenas e rosadas,  Nativa da América do Sul e tendo como sinônimo Oxalis debilis subsp. corymbosa 'Aureo-Reticulata', suas folhas contêm ácido oxálico e seu consumo deve ser evitado em grandes quantidades por ser tóxica.



Como cultivar

Solo

Deve ser cultivada em solo drenável, e de preferência neutro. Pode ser cultivado no chão e em vaso, esse colocando pedriscos no fundo, para ajudar no escoamento da água. Use duas partes de terra vegetal adubada para uma de areia média lavada; essa mistura de solo também pode ser usada para germinar os bulbos e sementes.


Rega

A planta tolera pequenos períodos de seca, entretanto, prefere solo levemente úmido, mas nunca encharcado. Evite molhar as folhas, caso a planta pegue sol. Para manter a umidade por mais tempo, utilize folhas mortas como forração do solo. Caso às folhas estejam ficando amarelas, um dos motivos pode ser o excesso de água. Diminua a rega nesse caso, até ela se recuperar.


Luz

Pode ser cultivada à meia-sombra, mas florescerá em abundância se receber bastante luz, podendo ser o sol da manhã. Em locais muito quentes, evitar o sol dia todo. Caso vá cultivar dentro de casa, escolha uma janela onde bata o sol da manhã, caso contrário ela crescerá mais alta, espalhada e poderá florescer bem pouco.


Adubação

Ela gosta de adubo orgânico, como húmus de minhoca e esterco bovino, mas também pode ser adubada com adubo químico de floração 4-14-8, usando igual à indicação do fabricante ou menos. O adubo orgânico pode ser usado a cada 3 meses.


Folha de Oxalis corymbosa 'Aureo-Reticulata'.


Floração

Se bem cultivada pode florescer o ano todo, com flores que podem ter de 2,5 a 5 cm de tamanho.

Flores de Oxalis corymbosa 'Aureo-Reticulata'.


Polinização

Por ter o órgão feminino acima do masculino, com variações em suas flores, acaba dificultando a autopolinização, sendo necessária a polinização cruzada que,  geralmente é feita por abelhas. 


Propagação


Bulbos: podem ser comprados ou colhidos da planta e se localiza entre as raízes e o caule, no solo. No outono ou início da primavera, é só colocar em solo bem drenável e úmido, de 2 a 3 cm de profundidade e cobrindo levemente (sem apertar). Pode plantar de qualquer lado, eles irão crescer em qualquer posição. Evite que seque até que a planta tenha pelo menos 5 cm. Se bem cultivado, irá dar flores em até 2 meses e meio.

Sementes: elas ficam em bagas bem pequenas que nascem onde era a flor, após a polinização. Em um vaso definitivo, coloque o solo para germinação, molhe até sair água pelos furos. Semeie às sementes e cubra com uma leve camada de solo, umedecendo com cuidado para não espalhar as sementes.

Cubra o vaso com um plástico ou coloque em uma estufa, mantendo em local quente, iluminado e longe do sol. Verifique o solo todos os dias para ver se há necessidade de molhar novamente. Assim que aparecer as primeiras hastes, remova o plástico. Só adube quando a planta tiver pelo menos umas 4 folhas.

A germinação pode levar de 7 a 14 dias.


Poda

Só pode as folhas quando elas estiverem secas ou amarelas.


Longevidade

Por ser uma planta que dá bulbos, eles se multiplicarão, fazendo com que uma nova nasça, substituindo a que venha a morrer.



Folhas de Oxalis corymbosa 'Aureo-Reticulata'.


Quer ver Dicas de Cultivo de outras espécies?




Qualquer reprodução (total ou parcial de textos ou imagens) do conteúdo divulgado no Blog "minijardimecia.com", sem a prévia autorização, é proibida. Conheça a Lei 9.610 e o artigo 184 do Código Penal.

quinta-feira, 25 de julho de 2019

30 curiosidades sobre as joaninhas (Coccinellidae)

25.7.19 0 Comentários
As joaninhas são seres adoráveis e benéficos para nossos jardins. Elas ajudam de forma indireta na polinização e, direta na eliminação de algumas pragas que insistem em acabar com nossas plantas. Considerada um símbolo de boa sorte para muitas pessoas, talvez você as conheça bem, mas talvez tenha algo a mais para descobrir!

Joaninha (Coccinellidae) em uma flor de crisântemo.


1. As joaninhas são também conhecidas como "Besouro de Nossa Senhora". Uma lenda que se iniciou na Idade Média conta que, alguns agricultores rezaram para que Nossa Senhora salvasse suas plantações de ataques de pulgões. Logo após, uma colônia de joaninhas apareceram, comeram os pulgões e salvaram a colheita;

2. Existem mais de 5000 espécies de joaninhas. Nem todas são vermelhas com pintas pretas. Há também amarelas, pretas, rosas, marrons e laranjas, com pintas de outras cores, não somente pretas, podendo ter até 24. E tem as listradas e sem pintas;

3. Não é possível saber a idade da joaninha contando suas pintas. Se fosse por idade, todas teriam no máximo três;

4. Algumas espécies de joaninhas são identificadas pelo número de pintas. A mais comum é a de 7 pintas da espécie Coccinella septempunctata;

5. Conforme envelhecem, as pintas das joaninhas vão desaparecendo até sumirem por completo;

6. As cores fortes e vibrantes das joaninhas servem como aviso aos predadores. Fiquem longe, pois tenho um gosto ruim!

7. A carapaça da joaninha é feita de quitina, o mesmo encontrado em nossas unhas;

8. As joaninhas são besouros e não insetos. Os insetos têm bocas que parecem agulhas para sugar o líquido, enquanto os besouros mastigam seu alimento;

9. Elas têm dois pares de asas, mas só um é usado para voar. Elas ficam "guardadas" dobradas dentro de suas "carapaças", e o segundo par serve como proteção das asas principais que são delicadas;

10. As joaninhas batem suas asas 85 batidas por segundo para voarem.

11. Em um único voo elas podem viajar até 120 km de distância, em altitudes de 1100 metros e até 24 km por hora;

12. As joaninhas não voam quando a temperatura está abaixo de 15 graus. São mais ativas, acima de 16 graus;

13. As joaninhas têm dois olhos, mas não enxergam bem. Só conseguem diferenciar a luz da escuridão e são as antenas que ajudam elas a sentirem o cheiro, o sabor e o caminho;

14. Os pés das joaninhas também ajudam a sentir o cheiro, além de andar;

15. As joaninhas se comunicam através de sinais químicos liberados pelo corpo, chamados de feromônios;

O cheirinho não é nada agradável, rs.


16. As joaninhas não têm nariz e não respiram pela boca, mas sim, pelo tórax e através de pequenas aberturas;

17. Joaninhas mordem. Entretanto não se preocupe! Elas não têm dentes;

18. A maioria das joaninhas são carnívoras devoradoras de pulgões, cochonilhas e alguns outros insetos que destroem as plantas. Esporadicamente comem pólen, quando não encontram suas presas nas flores. Se ver alguma em suas plantas, agradeça!

19. Em 2002 uma espécie invasora de joaninhas (Harmonia axyridis), vindas da Ásia foram introduzidas (acidentalmente) no Brasil. Apesar de estarem espantando as nativas, elas não têm sido, por enquanto, motivo de preocupação;

20. Para diferenciar o macho da fêmea, é necessário colocar ambos um ao lado do outro. O macho é o menor. Difícil é conseguir essa façanha;

21. Elas são ótimas atrizes! Se um predador vem para atacá-las, elas tombam e viram as pernas para cima se fingindo de mortas. Se não funcionar? Elas soltam um líquido fedido para espantar os predadores. Elas têm muitos predadores, como as aranhas, percevejos, libélulas, sapos e pássaros;

22. O líquido amarelo que a joaninha solta é, sangue;

23. As joaninhas hibernam no inverno, entretanto, não é para se aquecerem. Como elas têm sangue-frio, o corpo não produz calor. Elas se juntam formando colônias, para aumentar a proteção durante a hibernação. Mas não antes de se acasalarem!

24. Joaninhas foram enviadas ao espaço com pulgões, para ver se a falta de gravidade influenciaria em algo. O resultado foi que, elas não precisam de gravidade para conseguirem se alimentar;

25. Os agrotóxicos podem afastar e matar as joaninhas;




26. Joaninhas passam por metamorfoses como as borboletas. Após botarem os ovos, as larvas eclodem entre 2 e 5 dias. Em até duas semanas, se bem alimentadas, entram em um "casulo" e ficam até uma semana, para só assim, renascerem como os belos besouros que sempre vemos;

27. As joaninhas botam seus ovos sempre próximos aos pulgões, por serem uma fonte de alimento para as larvas;

28. Elas também botam ovos inférteis, caso as larvas fiquem sem alimento, podendo comê-los;

29. Elas botam até 50 ovos durante sua curta vida;

30. As larvas de joaninha não são nada fofas. Lembram até um pequeno jacaré (não no mesmo tamanho, felizmente). Não as, mate!


Sabia de tudo isso? As joaninhas são incríveis, não são?



sábado, 20 de julho de 2019

Como cultivar o raro antúrio-batman (Anthurium x macrolobium)

20.7.19 0 Comentários
O Anthurium x macrolobium é conhecido popularmente como antúrio-batman, pela semelhança de suas folhas com o símbolo do herói morcego dos quadrinhos. É uma espécie difícil de se encontrar e a planta que minha mãe tem, foi plantada pelo meu falecido vó há alguns anos. Minha mãe me presenteou com várias sementes*, me passou informações de como cultivar e irei compartilhar com você.

A enorme folha do Anthurium x macrolobium comparando com o tamanho da minha mão.


O Anthurium x macrolobium é um híbrido, e seus possíveis progenitores (não sei qual a fonte certa) podem ser: A. clarinervium e A. pedatoradiatum ou A. leuconeurum e A. pedatoradiatum.. É uma planta perene, de fácil cultivo e de grande valor ornamental que, pode crescer até 1 metro. Pertencente à família Araceae, suas brácteas (folhas modificadas) são da cor verde e a espiga, preta.

Em minha mão está a bráctea da cor verde e a espiga (espádice) na cor preta, e aonde sai às flores e as sementes.

É possível cultivá-la ao ar livre ou em ambiente interno


Em ambiente externo: plante em um local que tenha boa luminosidade, podendo receber os raios solares da manhã, mas evitando a exposição o dia todo, para evitar queimadura nas folhas.

Em ambiente interno: coloque o vaso em local com bastante luminosidade ou que tenha luminosidade em 60% do dia. Evite o sol da tarde. Como a planta gosta de umidade, evite deixar o vaso onde tenha corrente de ar e caso o ar esteja seco, borrife água em suas folhas, pelo menos duas vezes por semana.


Solo

O solo para plantio, deve ser rico em matéria orgânica e com boa drenagem para evitar encharcamentos.


Rega

Regue sempre que o solo começar a secar, evitando que seque por completo. Ao ar livre, em uma região que a temperatura não passe de 30 graus, pode regar duas vezes na semana. A dica é regar bem o solo. Em ambiente interno, coloque sempre o dedo para ver se há necessidade de regar.  Em ambos os casos, evite o encharcamento.




Adubação

Dê preferência a adubos orgânicos, como farinha de osso e esterco bovino, colocando pelo menos a cada 3 meses, mas não ao mesmo tempo.


Floração

Há uma confusão com relação às flores dos antúrios. Onde muitos pensam que são flores, são espatas, um tipo de brácteas, que lembram pétalas, mas são folhas modificadas que tem a função de proteger as flores. Às flores são minúsculas e ficam na espádice, que pode chegar a ter mais de 20 cm. Somente um ano após o plantio que a planta começa a florescer. Fiz um desenho (do jeito que consegui, rs) para explicar melhor.

Desenho explicando o que são e aonde estão às brácteas, espádice, floração e sementes da antúrio-batman (Anthurium x macrolobium).


Como reproduzir o antúrio-batman

Sementes: quando maduras, são de cor alaranjada e precisam ser plantadas assim que são colhidas.

* As que ganhei foram colhidas há mais de 30 dias. Como minha mãe mora em outro estado, esperei quando fosse até lá para pegar, já que ela também tinha separado de outras espécies. Tentarei germiná-las e assim que conseguir, irei fazer uma postagem sobre a forma correta e sobre a taxa de germinação, quando armazenadas.

Sementes de antúrio-batman - Anthurium x macrolobium, colhidas há mais de 30 dias.

Divisão: mudas que nascem junto a planta principal. Pegue uma muda que já tenha alguns caules, raízes e folhas, para maiores chances de desenvolvimento.



Planta tóxica para animais domésticos


Todas as partes da planta contêm oxalato de cálcio, que pode causar irritação na boca e esôfago.

O antúrio-batman (Anthurium x macrolobium) plantado no chão.

Bom cultivo e até breve!

Quer ver Dicas de Cultivo de outras espécies?


Qualquer reprodução (total ou parcial de textos ou imagens) do conteúdo divulgado no Blog "minijardimecia.com", sem a prévia autorização, é proibida. Conheça a Lei 9.610 e o artigo 184 do Código Penal.

quinta-feira, 18 de julho de 2019

Como cultivar e fazer florescer a flor-da-fortuna (Kalanchoe blossfeldiana)

18.7.19 0 Comentários
A Kalanchoe blossfeldiana, conhecida popularmente como flor-da-fortuna e calanchoê, é bastante comercializada por ser uma planta barata e de fácil cultivo, além de ser muito bonita. O presente perfeito!
 
Flores vermelhas da flor-da-fortuna (Kalanchoe blossfeldiana).


Da família Crassulaceae, assim como a planta-jade (Crassula ovata), a flor-da-fortuna é uma suculenta de folhas verdes gordinhas e flores bem pequeninas, podendo ser vermelhas, lilás, amarelas, brancas, rosa ou laranja, que juntas formam um lindo bouquet. Originária da África, ela pode crescer até 30 cm.


Folhas da flor-da-fortuna (Kalanchoe blossfeldiana).


Tentei cultivar essa belezinha umas duas vezes, e como não florescia mais, acabei abandonando elas, até perdê-las. Assim como eu, muitas pessoas acabam se desfazendo da calanchoê logo após a floração. Massss... não faça isso!

É muito fácil cultivá-la e fazer com que ela sempre dê flores, tanto dentro de casa, como ao ar livre.




Estive na casa da minha mãe nesse final de semana, e fiquei encantada com a Kalanchoe blossfeldiana dela. Me lembro que da outra vez que fui, era uma mudinha bem pequena plantada no chão. Como ela mesma disse depois, a planta não estava se adaptando ao local e não estava crescendo, então ela decidiu colocar em um vaso e para não deixar no chão, onde há muitas outras plantas que podem tirar o brilho dela, ela pendurou o vaso em um "varal". E não é que ela amou!

No chão ela estava em um local que está sempre úmido, pois as outras plantas têm uma necessidade maior de umidade, além de que, ela acabava ficando coberta pelas outras e não recebendo a luz devida.

Com as dicas que ela deu, resolvi compartilhar e tentarei cultivá-la novamente.


Flores vermelhas da flor-da-fortuna (Kalanchoe blossfeldiana).


Cultivando dentro de casa e ao ar livre


A calanchoê pode ser cultivada em ambiente interno e externo, em sol pleno ou parcial. O importante é que seja um local bem iluminado.


Solo

O solo tem que ser bem drenável. Um solo agradável para a planta é, meia parte de areia média ou grossa de rio lavada, para uma de terra. Caso plante em vaso, use pedriscos ou bolinhas de argila expandida no fundo do vaso para ajudar a drenar a água e não acumular no fundo.

Luz

Ao ar livre, deixe a planta em um local onde bata sol, pelo menos a metade do dia.
Dentro de casa, coloque próxima de uma janela bem iluminada.

Rega

Por ser uma suculenta, a água é armazenada nas folhas, não tendo a necessidade de regas constantes. Regue quando perceber que o solo está seco, para isso, afunde meio dedo na terra para sentir se está úmido ou seco. Só regue se sentir que está seco. Lembrando que no inverno a rega deverá ser diminuída drasticamente. Evite molhar às folhas e flores para não apodrecerem.

Adubação

Use adubos orgânicos, como casca de ovos secos e triturados, farinha de osso ou esterco bovino, evitando usar todos ao mesmo tempo. Pode ser aplicado a cada 3 meses. Use também adubo de floração conforme a instrução do fabricante.


Como fazer florescer


Quando compramos ou ganhamos a planta, normalmente ela já vem florida e assim que as flores murcham, é preciso cortá-las e deixar que descanse um pouco para recuperar a energia que perdeu durante a floração.

Comece a adubar, salvo se estiver no inverno. Nesse caso, é preciso simular o ambiente ideal para floração, que é o mesmo da sua área nativa. Para isso é preciso encurtar "os dias" durante o inverno. Caso sua planta esteja dentro de casa, coloque-a em um local que fique pelo menos 12 horas por dia na escuridão. Caso esteja do lado de fora, desligue todas as luzes possíveis do jardim para que ela fique o maior tempo possível no escuro.



Como reproduzir a calanchoê


Estacas: corte estacas de aproximadamente 8 cm, retirando às duas primeiras folhas de baixo, e deixe secar por 2 dias. Depois plante em solo drenável e regue para que à terra fique úmida e não encharcada. Em média em 20 dias a planta já estará enraizada. Mantenha em local iluminado, mas longe do sol até que brote mais folhas e esteja forte o suficiente.

Folhas: retire delicadamente a quantidade de folhas que quer enraizar. Tire bem rente ao caule, sem quebrar a pontinha. Nessa ponta que estava fixa no caule, coloque no solo úmido, afundando 1 cm. Mantenha o solo úmido sem encharcar e aguarde. enraizar

Sementes: é preciso que haja polinização para que tenha sementes. Elas ficam no miolo das flores e são minúsculas. Caso consiga retirar, é só colocar em solo úmido e deixar germinar em local quente, mas sem incidência solar direta. A germinação ocorre em média em uma semana.

Dica: O solo deve rico em matéria orgânica, além de bem drenável.


Agora que já sabe como cultivar a calanchoê, que tal ter todas as cores para decorar sua casa ou jardim?

Boa sorte! E caso tenha alguma dúvida, só deixar nos comentários que respondo em breve!


Flor-da-fortuna (Kalanchoe blossfeldiana) com uma floração vermelha abundante, plantada em vaso suspenso.


Quer aprender a cultivar outras espécies?



Qualquer reprodução (total ou parcial de textos ou imagens) do conteúdo divulgado no Blog "minijardimecia.com", sem a prévia autorização, é proibida. Conheça a Lei 9.610 e o artigo 184 do Código Penal. 

quinta-feira, 16 de maio de 2019

A rara Camari-nhêmba (Gaylussacia brasiliensis) encontrada na Cascatinha (cachoeira) em Minas Gerais

16.5.19 0 Comentários
Em 2011, fui em uma cachoeira conhecida como Cascatinha, no sul de Minas Gerais e fiquei encantada com essa bela planta. Procurei sementes e não encontrei, mas fotografei e guardei junto às outras tantas fotos, para tentar identificar algum dia. No ano passado, conheci uma página incrível de frutas raras e, advinha quem estava lá?

A Camari-nhêmba (Gaylussacia brasiliensis)! Minha felicidade foi imensa ao descobrir seu nome e mais detalhes sobre ela.

A rara Camari-nhêmba (Gaylussacia brasiliensis) encontrada na Cascatinha (cachoeira) em Minas Gerais.


Segundo o site "Colecionando Frutas":


"A Camari-nhêmba é uma nativa brasileira rara de ser encontrada (Iupi! Tive sorte!), e também é conhecida como groselha-do-brejo, camarinha e lanterninha-da-praia. Se quiser conhecer mais é só entrar nesse link."


A postagem descreve sobre o cultivo, porém, recentemente, procurando por ela no Instagram, encontrei uma imagem de sementes sendo germinadas. Mandei uma mensagem para a pessoa que postou e ela me falou que não "vingaram" e que já tinha tentado outras vezes e que era muito difícil "vingar" fora do 'habitat' dela.

A rara Camari-nhêmba (Gaylussacia brasiliensis) encontrada na Cascatinha (cachoeira) em Minas Gerais.


Deixo também, algumas fotos da cachoeira onde ela foi encontrada.

Cachoeira Cascatinha em Minas Gerais — Próximo à Hidrelétrica de Furnas, ao lado da Cachoeira do Filó.

Cachoeira Cascatinha em Minas Gerais — Próximo à Hidrelétrica de Furnas, ao lado da Cachoeira do Filó.

Cachoeira Cascatinha em Minas Gerais — Próximo à Hidrelétrica de Furnas, ao lado da Cachoeira do Filó.

Cachoeira Cascatinha em Minas Gerais — Próximo à Hidrelétrica de Furnas, ao lado da Cachoeira do Filó.

Cachoeira Cascatinha em Minas Gerais — Próximo à Hidrelétrica de Furnas, ao lado da Cachoeira do Filó.


Bom cultivo e até breve!
Quer ver Dicas de Cultivo de outras espécies?


Qualquer reprodução (total ou parcial de textos ou imagens) do conteúdo divulgado no Blog "minijardimecia.com", sem a prévia autorização, é proibida. Conheça a Lei 9.610 e o artigo 184 do Código Penal.

terça-feira, 14 de maio de 2019

A perfumada gardênia (Gardenia jasminoides) e como cultivar em vaso

14.5.19 2 Comentários
Vamos cultivar gardênias?

E o melhor! Você pode cultivar dentro de casa e perfumar o ambiente!
Flor de gardênia (Gardenia jasminoides), cultivada em vaso.


Como cantavam Bienvenido Granda e Waldik Soriano:

Letra de "Perfume de Gardenia" — Bienvenido Granda


Essa música descreve bem a pureza e o perfume dessa bela flor. De flores brancas e perfume adocicado, que lembra jasmim, e folhagem verde brilhante, a chinesa Gardenia jasminoides é um arbusto que pode alcançar até dois metros de altura. Da família Rubiaceae, é popularmente conhecida como gardênia ou jasmim-do-cabo. Seu fruto amarelo é usado como corante têxtil.

Botão de flor de gardênia (Gardenia jasminoides) em formação.



Como cultivar


As gardênias geralmente são cultivadas diretamente no chão. Entretanto, é possível cultivar também em vasos, desde que, dê os devidos cuidados:

Sempre em solos ácidos, com compostos orgânicos e com boa drenagem. O solo deve estar sempre úmido, mas nunca encharcado.

Gostam de sol pleno e meia sombra, mas florescem em abundância em regiões mais temperadas como o sul do Brasil. Em regiões mais quentes ela floresce bem, mas é bom evitar o sol da tarde, principalmente as plantadas em vasos. Também não gosta de frio extremo.

É necessário adubar a cada dos meses, pelo menos, dando preferência a NPK de floração, e evitando no inverno. Suas flores brancas, ficam amarelas, antes de secarem.


Pode sempre após a floração para manter a copa mais compacta e com mais galhos.



Reprodução


Pode ser por estacas e por sementes (raramente frutifica no Brasil).

O desabrochar da flor de gardênia (Gardenia jasminoides).

O desabrochar da flor de gardênia (Gardenia jasminoides).

O desabrochar da flor de gardênia (Gardenia jasminoides).

O desabrochar da flor de gardênia (Gardenia jasminoides).

Antes de murchar, a flor de gardênia (Gardenia jasminoides) fica bem amarelada.




Bom cultivo e até breve!




Quer ver Dicas de Cultivo de outras espécies?



Qualquer reprodução (total ou parcial de textos ou imagens) do conteúdo divulgado no Blog "minijardimecia.com", sem a prévia autorização, é proibida. Conheça a Lei 9.610 e o artigo 184 do Código Penal.

sábado, 11 de maio de 2019

Como cultivar cacto-dedal (Mammillaria gracilis) e fazer florescer

11.5.19 0 Comentários
Quer um cacto pequeno, de poucos cuidados e que possa deixar dentro de casa?

O cacto Mammillaria gracilis, é uma ótima opção! São pequenas hastes cilíndricas verdes, com espinhos brancos que lembram estrelas, fazendo com que, pareça que a planta esteja coberta com rendas. Essa espécie cresce até 13 cm de altura e 5 cm de largura, fazendo um lindo aglomerado.

Cacto-dedal (Mammillaria gracilis) com sua primeira e delicada flor cor de creme.


Como cultivar  


Originária do México, a Mammillaria gracilis é perfeita para iniciantes! Sendo possível cultivar dentro de casa, exigindo pouco cuidado, desde que, tenha muita luminosidade. Ao ar livre, gosta de ser cultivada em sol pleno.



Solo

Necessita de solo bem drenável. Pode-se usar 1 parte de areia para 1 de terra. Use sempre pedriscos no fundo do vaso para ajudar na drenagem.

Obs: Eu usei areia fina, por que é o que eu tinha no momento e em breve vou trocar. Evite areia fina! 


Rega


Para evitar acúmulo de água na planta, o ideal é a rega por imersão, colocando o vaso dentro de uma vasilha com água e até absorver bem, após, deixar escorrer bem e só regar novamente quando o solo estiver totalmente seco. Caso esteja plantada no chão, regue com cuidado e evite usar mangueiras com jatos fortes, para não quebrá-la.

Floração

O cacto-dedal produz lindas e delicadas flores na cor creme, que pode medir até 12 mm de largura. O segredo para que floresça, é que, seja cultivado em pleno sol. Caso deixe dentro de casa, procure uma janela com boa incidência de luz e de sol, pelo menos meio período do dia. As flores costumam aparecer na primavera e no começo do outono. Assim que aparece um broto de flor, ele leva em média 6 dias para desabrochar e assim que abre, dura em média 3 dias. Logo ela murcha e dá as sementes.



Reprodução

Por separação das ramificações ("filhotes" que dão na planta principal): retire com cuidado, usando luvas ou com tesoura/estilete esterilizado. Retire e deixe secar por alguns dias antes de plantar. Plante no mesmo vaso ou em outro com 1 parte de areia para ½ (meia) de terra. Regue como a planta adulta.

Por sementes: após, a flor murchar, caso ela tenha sido polinizada, irá aparecer uma baga de sementes. Espere a baga amadurecer e retire com cuidado. Ao abrir, irá ver as sementes pequeninas e pretas. Plante em um vaso com areia, semeando-as por cima. Para não levantar as sementes, regue por imersão e coloque em uma estufa, de preferência. Mantenha o solo sempre úmido, até começar a aparecer aquelas pequenas bolinhas verdes, com pequenos espinhos brancos. Nunca deixe o solo encharcado.



Adubação

Não há necessidade de sempre estar adubando. Colocar um adubo para cactos ou até mesmo casca de ovo triturada seca de vez em quando para ajudar na manutenção e florescimento. Evite adubo orgânico que possa fermentar em volta da planta, para que ela não apodreça.

Sequências da floração da Mammillaria gracilis. Desde quando apareceu o primeiro broto de flor, abriu e murchou, foram 12 dias. O tempo de permanência da flor aberta é bem curso, sendo em média de 3 dias.



Quer aprender a cultivar outras espécies?



      Qualquer reprodução (total ou parcial de textos ou imagens) do conteúdo divulgado no Blog "minijardimecia.com", sem a prévia autorização, é proibida. Conheça a Lei 9.610 e o artigo 184 do Código Penal.

      quarta-feira, 10 de abril de 2019

      Como cultivar Oxalis hirsutissima - Azedinha-de-flor-amarela

      10.4.19 0 Comentários
      Em mais uma das minhas explorações na natureza, encontrei essa pequena gigante, de cerca de 15 cm de altura, no Cerrado mineiro (Passos).  Oxalis hirsutissima, também conhecida como azedinha-de-flor-amarela, é da mesma espécie das famosas azedinhas de nossa infância, e em alguns locais, chamada de trevinho.

      Flor da Oxalis hirsutissima a azedinha-amarela.

      Flora do Brasil


      Nativa da região central do Brasil, mas podendo ser encontrada em todas as regiões, a Oxalis hirsutissima pertence à família Oxalidaceae. As plantas desta família, possuem ácido oxálico e oxalato, o que faz ter o significado de "azedo".


      Clima e forma de cultivo

      Ela foi encontrada a meia-sombra, quase embaixo de um arbusto. O cultivo se dá da mesma forma das outras espécies de Oxalis. Caso cultive em vaso, deixe-a meia-sombra, regando sempre. Coloque a cada 6 meses adubos orgânicos — utilizo esterco bovino  —, ou uma vez a cada dois meses, adubo para floração, conforme a instrução da embalagem.


      Reprodução

      É feita por sementes, porém, a taxa de germinação é baixa.

      Detalhes das folhas peludinhas da Oxalis hirsutissima a azedinha-amarela


      Quer ver Dicas de Cultivo de outras espécies?




      Qualquer reprodução (total ou parcial de textos ou imagens) do conteúdo divulgado no Blog "minijardimecia.com", sem a prévia autorização, é proibida. Conheça a Lei 9.610 e o artigo 184 do Código Penal.

      quarta-feira, 3 de abril de 2019

      A rara romã-amarela (Punica granatum alba) e como cultivar

      3.4.19 0 Comentários
      Estamos acostumados a ver a romã-vermelha (Punica granatum), com suas lindas flores laranja. Entretanto, existe outra espécie de romã pouco cultivada aqui no Brasil, a romã-amarela (Punica granatum alba), que tem lindas flores brancas.

      Flor branca da romã-amarela (Punica granatum alba), cultivada em vaso.


      Uma espécie pouco comercializada


      Tive o prazer de conhecer há alguns anos, quando ganhei uma muda vinda de Santa Catarina. Entretanto, infelizmente, acabei perdendo ela. Em novembro de 2017, fui buscar a tão esperada encomenda da romã-amarela na Garden Center Paisagismo  — Santa Cecília, em São Paulo —. Cultivei por alguns meses em vaso e  depois dei de presente para minha mãe plantar na horta dela.





      Conhecendo a romã-amarela 


      O gênero Punica significa "maçã com muitas sementes" e o epíteto da espécie granatum quer dizer "agradável".  Nativa da Grécia, Chipre e Síria, pertence à família Lythraceae, sendo um arbusto que pode crescer até 4,5 metros de altura. Suas flores são de amarelo-claro a creme, ficando branca quando desabrocham. O fruto é de casca verde e fica amarela, quando maduro. A poupa da fruta é transparente, dando para ver as sementes.



      Como cultivar


      Por ser uma planta rústica, pode ser cultivada em vários tipos de solos, desde que, bem drenados. Sempre em sol pleno. Não necessita de muita rega, tolerando bem a seca, quando maiores. Pode ser cultivada em vaso ou direto no chão.



      Adubação - Importante para "segurar" as flores e dar frutos

      As romãzeiras, quando não adubadas regularmente, não seguram bem as flores, podendo cair logo após se abrir. Escolha um adubo para frutíferas e siga as instruções. A cada seis meses é necessário um adubo orgânico, como esterco bovino, por exemplo. Mantendo a adubação de forma regular, terá frutos o ano todo.


       Propagação

      Pode ser propagada por sementes e estaquia. Corte um galho de cerca de 30 cm, podendo ser a parte de madeira macia ou dura.

      • Armazenagem de sementes

      Armazenar sempre em saco plástico com abertura, para evitar fungos. Há dois locais que podem ser armazenados e isso pode influenciar na germinação: na geladeira — na gaveta de verduras —, e em gavetas ou outro lugar com temperatura ambiente. Na geladeira, a taxa de germinação é de 15% a mais que a armazenada em temperatura ambiente. Germinar de preferência até três meses após a colheita, pois, irá perdendo gradativamente a taxa de germinação.


      Estágios da frutificação  

      Infelizmente, deixei o vaso cair e não tive o prazer de vê-la amadurecer.
      Três estágios da frutificação.




      Bom cultivo e até breve!


      Quer ver Dicas de Cultivo de outras espécies?



      Qualquer reprodução (total ou parcial de textos ou imagens) do conteúdo divulgado no Blog "minijardimecia.com", sem a prévia autorização, é proibida. Conheça a Lei 9.610 e o artigo 184 do Código Penal.

      sábado, 23 de março de 2019

      Como cultivar rosa-do-deserto (Adenium sp.) e fazer florescer

      23.3.19 2 Comentários
      Você também é uma apaixonada (o) por rosas-do-deserto (Adenium sp.)?

      Essa linda e exótica planta, de fácil cultivo, pertence à família das Apocynaceae. Nativa da África e da Península Arábica, foi vista pela primeira vez em 1819. Planta herbácea, suculenta e de flores perenes, a Adenium tem várias espécies, de variadas cores, mescladas, degradês e dobradas. 

      Primeira flor da rosa-do-deserto da minha mãe, reproduzida por estaquia da planta matriz.


      Os exemplares da minha mãe (fotos nessa postagem)


      Plantei algumas sementes em 2009, das que germinaram, dei duas mudas para duas tias e fiquei com uma. Alguns anos depois, me mudei para um local pequeno e que não batia sol e doei minha planta para minha mãe. Ela fez uma estaquia da planta principal e hoje tem duas, a matriz com 10 anos e a que foi reproduzida por estaquia, que está com 3 anos.


      Como cultivar


      Pode ser cultivada no chão e em vaso. No chão ela irá crescer livremente, podendo alcançar 3 metros de altura. Em vaso ela irá se limitar ao tamanho, e pode ser bem interessante cultivar usando a técnica de bonsai. O solo deve ser bem drenável e arenoso. Duas partes de terra e uma de areia de rio lavada, média ou grossa, será muito apreciada pela planta. Coloque também pedrinhas no fundo do vaso, para ajudar na drenagem e evitar o acúmulo de água nas raízes.


      Rega e Clima

      Por ser uma suculenta, a rosa-do-deserto armazena água e nutrientes em seu caule e não deve ser regada sempre. Espere o solo secar primeiro, para depois regar até a água sair pelos furos do vaso. Apesar dela tolerar bem a seca, não é recomendado ficar muito tempo sem regar.

      Pode ser cultivada em meia sombra, mas para uma florescência abundante é recomendado o cultivo em pleno sol. 


      Adubação

      Como toda planta, principalmente as cultivadas em vaso, é necessário receber nutrientes para manter a saúde e florescerem. Há adubo próprio para rosas-do-deserto, mas caso não encontre, pode ser usado um para floração. Siga sempre as instruções do fabricante. Na dúvida, use uma quantidade menor que a informada na embalagem. Uma vez a cada 3 meses, é necessário adubo orgânico, podendo ser casca de ovos seca e triturada e/ou esterco bovino.

      Planta reproduzida de uma estaquia que, foi adubada adequadamente e floresceu pela primeira vez após 3 anos.


      Como fazer a rosa-do-deserto florescer

      A principal forma é com a adubação, mas caso perceba que mesmo assim ela não está florescendo, há outra forma: a poda drástica. Faça a poda drástica no inverno, época que a planta entra em dormência. Quando começar a primavera, como defesa e para se reproduzir, ela irá soltar botões de flores.


      • Como fazer a poda drástica


      Corte com uma tesoura ou estilete limpo e esterilizado, uns 4 dedos a cima da base do galho (Conforme a imagem abaixo).

      Corte com uma tesoura ou estilete limpo e esterilizado, uns 4 dedos a cima da base do galho. Aqui a poda foi feita em 29/06/2018.

      Aqui foi 5 meses após a poda drástica.

      Flores da rosa-do-deserto 7 meses após a poda drástica.


      Reprodução

      As Adeniuns podem ser reproduzidas por sementes — precisando de duas amostras de plantas para que ocorra a polinização  —,  e também por estaquia. Na estaquia, é só cortar um galho da planta, deixar secar por um dia e replantar em outro vaso. Na imagem abaixo, a planta menor é de uma estaquia de um galho da maior.

      Duas rosas-do-deserto, sendo uma planta matriz e a outra de uma estaquia da mesma.


      Quer aprender a cultivar outras espécies?



      Qualquer reprodução (total ou parcial de textos ou imagens) do conteúdo divulgado no Blog "minijardimecia.com", sem a prévia autorização, é proibida. Conheça a Lei 9.610 e o artigo 184 do Código Penal.

      quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

      O encanto da esponja-de-ouro (Stifftia chrysantha) e formas de cultivo

      20.2.19 0 Comentários
      Em um saudoso passeio que fiz ao Parque Ibirapuera, encontrei esses pompons encantadores que, de longe, me chamaram a atenção. Conhecida como esponja-de-ouro ou rabo-de-cutia, a Stifftia chrysantha, da família Asteraceae, é uma árvore que pode alcançar até 8 metros de altura. Sua linda floração ocorre entre julho e setembro — porém, essa foi fotografada em abril —, e atrai muitos beija-flores.

      Esponja-de-ouro (Stifftia chrysantha).


      Formas de cultivo e reprodução


      Deve ser cultivada em pleno sol, em solo bem drenável e com regas regulares. A adubação se faz necessária, evitando adubar no inverno.

      A reprodução pode ser feita por sementes, que são dispersadas na natureza.


      Estágios da floração

      Estágios da flor da esponja-de-ouro (Stifftia chrysantha).

      Estágios da flor da esponja-de-ouro (Stifftia chrysantha).

      Estágios da flor da esponja-de-ouro (Stifftia chrysantha).

      Estágios da flor da esponja-de-ouro (Stifftia chrysantha).

      Estágios da flor da esponja-de-ouro (Stifftia chrysantha).


      Esponja-de-ouro (Stifftia chrysantha).


      Bom cultivo e até breve!


      Quer ver Dicas de Cultivo de outras espécies?



      Qualquer reprodução (total ou parcial de textos ou imagens) do conteúdo divulgado no Blog "minijardimecia.com", sem a prévia autorização, é proibida. Conheça a Lei 9.610 e o artigo 184 do Código Penal.

      quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

      Trepadeira papo-de-peru (Aristolochia gigantea) e sua esplendorosa floração

      14.2.19 0 Comentários
      Em minhas andanças em meio a natureza, encontrei essa gigante esplendorosa conhecida como papo-de-peru (Aristolochia gigantea), sendo nativa do Brasil e pertencente a família aristoloquiáceas.

      Suas belas flores de formato bem peculiar que, lembram o papo de um peru (ave), possuem cerca de 50 cm de comprimento e 30 cm de largura, e suas folhas são bem grandes e lembra um coração. Seu caule é bem grosso, resistente e a planta atrai muitos insetos polinizadores, devido ao seu "mau cheiro" (alguns dizem que é ruim, porém, achei bom).
      Foto de frente e de trás da flor da trepadeira papo-de-peru (Aristolochia gigantea).


      Formas de cultivo


      De ciclo perene, a papo-de-peru floresce de setembro até maio. Por ser uma trepadeira, a planta precisa de um suporte para "se agarrar", podendo ser cultivada no chão e até mesmo em vasos.
      Precisa ser cultivada em sol pleno ou meia sombra, em solo com boa drenagem, e enriquecido com matéria orgânica. A rega precisa ser regular.

      Sua multiplicação pode ser feita por sementes e estaquia de galhos.


      Evolução da floração

      Estágio da floração da trepadeira papo-de-peru (Aristolochia gigantea).

      Estágio da floração da trepadeira papo-de-peru (Aristolochia gigantea).

      Estágio da floração da trepadeira papo-de-peru (Aristolochia gigantea).

      Estágio da floração da trepadeira papo-de-peru (Aristolochia gigantea).

      Um dos lados da trepadeira papo-de-peru (Aristolochia gigantea).

      Um dos lados da trepadeira papo-de-peru (Aristolochia gigantea).


      Quer ver Dicas de Cultivo de outras espécies?



      Qualquer reprodução (total ou parcial de textos ou imagens) do conteúdo divulgado no Blog "minijardimecia.com", sem a prévia autorização, é proibida. Conheça a Lei 9.610 e o artigo 184 do Código Penal.